Our Blog

ENTREVISTA  AO BLOG DIRETO DO ABISMO

http://darkabysses.blogspot.com:80/

 

Terça-feira, 20 de Maio de 2008

Em nossa opinião, não há melhor maneira de apresentar José Nivaldo  Cordeiro*, a quem agradecemos a honra da presente  entrevista, do que citar alguns trechos de sua autoria:
“(…) Lutar contra o Estado Total é um dever de consciência”
(José Nivaldo Cordeiro em
“O Combate ao Estado Total” )
“(…)Álvaro Vargas Llosa não faz essa distinção entre os condutores  da multidão entorpecida e ela própria, por isso disse em entrevista   que Che Guevara encarnava a própria figura do perfeito idiota  latino-americano.
Grande engano. Che é o protótipo do dirigente revolucionário que  sabia exatamente o mal que fazia. Praticava o mal por escolha. Che é Lula, é  Dirceu, é Palocci, é Chávez,  é Fidel, gente que vendeu a alma ao Diabo e que fará o mesmo com aqueles que  estiverem no seu caminho, o povo todo junto. O peruano involuntariamente  contribuiu para esconder essa realidade trágica com seus livros e sua  divertida expressão.”

(José Nivaldo Cordeiro em “Idiotas ou Malvados”)

1.A recente declaração de Lula em  Lima, sobre a importância do Foro de São Paulo (criado na década de 1990 com  os partidos “progressistas” da América Latina e do qual fazem parte narcobandidos e terroristas), equivale a admissão, por  parte do presidente, ainda que por vias tortas, do monstro totalitário que as  esquerdas querem nos impor goela abaixo, qual seja transformar nossa região  numa nova União Soviética, com a implantação da “União das Repúblicas  Socialistas da América Latina” (URSAL)?
Nivaldo Cordeiro –> A esquerda sempre  atuou como unidade mundial, sempre propôs uma ação internacional integrada,  mesmo depois de Lênin e Stalin teorizarem sobre a revolução em um só país.  Tanto assim que a ex-URSS sempre tentou exportar seu modelo político. Então  essa gente não se reúne para tomar cafezinho, mas para articular a revolução,  primeiro em escala continental e, depois, em escala mundial. E francamente  acredito que essa gente do FSP está articulada com a China e com os demais  partidos comunistas no mundo, estejam ou não no poder. O inimigo dos  comunistas é o cristianismo, os valores judaico-cristãos. Estava lendo o  livro de ensaios do Joseph Brodsky (MENOS QUE UM) e  nele há uma descrição de como era a vida no pós-guerra na Rússia, onde viveu.   Tentaram fazer da múmia de Lênin um ícone religioso  e da própria figura dele um profeta. No fundo, lutam para implantar a mentira  como substituta da verdade da alma. A questão econômica é meramente  acessória, um veículo para o propósito maior. Nessa luta, para a esquerda,  vale tudo, até mesmo vender cocaína nos morros e produzi-la nos altiplanos.
2. Uma vez que “Não há como enganar a lei da escassez, exceto nos  discursos populistas” ( “As duas Realidades” )  e tendo em conta que “os agentes revolucionários controlam o Estado e as  forças de repressão”, você considera que o estágio da “violência  aberta contra os supostos inimigos dos poderosos do dia” é inevitável?  Existem alternativas?
Nivaldo Cordeiro –> Sim, esse é um  perigo imediato que pode ser iniciado a qualquer momento, se o que eu chamo  de Comitê Central do PT achar que chegou o momento. Aliás, já o fazem de  forma mitigada na perseguição a empresários, com a desculpa de sonegação  fiscal, e de inimigos políticos a quaisquer pretextos, mediante expedientes excusos (embora legais) como escutas telefônicas e ações  espalhafatosas da Polícia Federal. São os ensaios iniciais do Estado policial  que nos espera se essa gente controlar o Senado e o governo de São Paulo, as  únicas barreiras efetivas que nos separam do totalitarismo. Claro, além de  não controlarem o comando das Forças Armadas.
3. Em seu artigo “Idiotas ou Malvados” você  demonstra a perigosa armadilha da expressão simplista do “perfeito idiota  latino americano” (cunhada por Álvaro Vargas Llosa). O que  você propõe para que se possa salvar da idiotia as massas que se deixam  impregnar pela “propaganda enganosa” que lança seus tentáculos desde  as escolas fundamentais até as universidades?
Nivaldo Cordeiro –> Não gosto da  expressão “idiota” porque ela minimiza a responsabilidade moral dos  militantes de esquerda. Certos que alguns deles são idiotas úteis, mas o comando não, são gente má, imbuída de propósitos  malignos. A massa está imbelicilizada depois de  décadas de propaganda mentirosa, que está nos jornais, no material escolar,  na boca dos professores, na tv  e por aí. O que fazer? O que estamos fazendo agora, falando sobre a verdade,  sobre a coisa certa, sobre a tradição. Fazer o que nossos avós faziam  despreocupadamente, mas agora temos que fazê-lo como missionários. Somos como  os restos de Israel, os indispensáveis portadores da verdade que nunca muda.
4. Você considera possível esperar algumas gerações até que a nossa  sociedade possa se livrar, por meio do conhecimento, dos vícios que a  acometem a partir das ações esquerdistas que a permeiam? Não seria tempo  demais para que o jogo do inimigo vingasse antes?
Nivaldo Cordeiro –> A questão de  tempo depende muito dos fatos da conjuntura. Veja que José Dirceu cometeu  erros táticos graves, que talvez lhe tenha custado o afastamento do grupo  menor de comando do processo. A vaidade é um pecado importante e essa comunalha é especialmente vaidosa, por isso eles erram.  Temos que levar em conta o elemento erro. Quão mais seguros se sentirem, mais  arrogantes ficarão e mais errarão. Lula parece um pavão, mesmo sabendo que a  bonança econômica é passageira, fruto que é de uma circunstância favorável  única na economia internacional, que muito beneficiou o Brasil, a despeito da   comunalha petista. Então vejo que aqui poderemos  ter uma experiência à francesa, comuniza tudo mas mantém as aparências de uma economia de mercado, o  poder real estando com os sindicatos. Ou uma ruptura, à moda venezuelana.  Esta última hipótese só acontecerá se o Comitê Central conseguir neutralizar  as Forças Armadas. Ou se ficarem muito confiantes, como em 1963. O tempo  dirá. Voltar o povo aos valores tradicionais exigirá que primeiro a elite  volte a eles. E a nossa elite é uma ralé, como disse Eric Voegelin  dos alemães que viveram sob o nazismo. E eu não sei como tratar essa ralé que  é dona de empresas, ensina nas universidades e escreve artigos para jornais.  Essa gente parece imune a qualquer conversão de alma. São  a ralé moral da Nação, porque têm a responsabilidade de conduzir as coisas e  corromperam-se. O tempo é uma questão em aberto.
5. Nivaldo, você identifica no ‘direito positivo’ advindo das  premissas socialistas ora infiltradas pelo governo (?) nas instituições  mancas do país, como uma das principais causas do “abaixamento moral”   de nossa sociedade que se auto-asfixia por meio de uma completa inversão da  lei natural a que você se refere em seu artigo “Voegelin e o Direito  Natural“?
Nivaldo Cordeiro –> Veja, o ponto é  que a moralidade exige o discernimento adulto, a confiança em si mesmo para  resolver seus próprios problemas, inclusive a  questão da sobrevivência material. O que se vê é que as pessoas vivem agora a  fazer concursos públicos para obter uma boquinha, vivem nas filas das  bolsas-esmola, os empresários querem política industrial (crédito subsidiado,  barreiras alfandegárias, isenções tributárias). Parece que o dom da vida  agora depende de um burocrata de boa vontade. Viver na dependência é vício e sintoma de infantilidade. Quão mais  infantilizado você se sente, mais ajuda do pai-Estado você vai buscar. Somos  uma nação que anseia ser, toda ela, barnabé. É triste. A psicologia descreve  bem a moralidade infantil: nenhuma. É preciso educar o ser para a vida adulta  dentro de parâmetros morais.
6. As declarações do general Augusto Heleno sobre a política indigenista caótica do governo (?) seriam, segundo seu  artigo “Quem são os responsáveis” ,   o reflexo de uma parte do Brasil ainda “não imerso no sonho hipnótico do  esquerdismo irresponsável e suicida”, e portanto ainda saudável. O que poderia mover uma sociedade doente como a nossa, (que  precisaria antes uma catarse de cada indivíduo que a compõe) no sentido de  merecer o suporte dos “Guardas da Pátria”, antes que nada mais  nos reste a defender?
Nivaldo Cordeiro –> As Forças  Armadas, pela natureza, não têm interrupção geracional  na sua formação. A revolução gramsciana não chegou  às academias militares, até onde sei. Os graduados formam os jovens e assim a  tradição se mantém. Vejo as Forças Armadas como essa reserva de elite  imunizada contra a propaganda comunista. Mas elas, sozinhas, são frágeis;  precisam do apoio das lideranças civis. E se estas não vierem, pode acontecer  o que houve na Alemanha de Hitler: os generais viraram vassalos dos  revolucionários. Uma tragédia. O que precisa é haver essa confraternização  entre civis e militares. Mas quem no meio civil? Não vejo ninguém.
7. “A super carga tributária é a mãe e o  pai de toda a corrupção reinante.” (“Meia Verdade Sobre os Impostos”).   Além de progenitora da corrupção, a super carga  tributária, que inclusive pode ser aumentada ainda mais nesta segunda-feira a  partir da criação de uma “nova CPMF”, segundo a Folha de SP de hoje  (18-05-08), também pode ser compreendida como a via de tributação progressiva  crescente pela qual o atual governo(?) pretende atingir o comunismo/socialismo?  
Nivaldo Cordeiro –> A supertributação é inerente ao ideário comunista. O ódio à  economia de mercado é total. Como a estatização dos meios de produção se  mostrou inviável, eles inventaram esse caminho do meio. A corrupção deriva do  poder de arbítrio do Estado. O poder político, se tiver  na mão o poder econômico, corrompe de cima a baixo o processo de produção. É  uma lei inexorável. É preciso separar o poder político do poder econômico.  Isso só se consegue mediante a vigência do Estado mínimo, algo inferior a uma  carga tributária de 25% do PIB.
8. Em seu artigo “A questão da Representação no Brasil”   , você muito bem observa que “vasta proporção do eleitorado  simplesmente não tem políticos para representar sua visão de mundo”, já  que inexiste um partido que represente as idéias liberais e conservadoras,  uma vez que o próprio “DEM hoje levanta a bandeira do igualitarismo  socialista.” Em sua opinião a que se deve essa abdicação, essa  desistência dessas correntes de direita do debate das idéias com a sociedade,  com o homem-massa?
Nivaldo Cordeiro –> Essa é uma boa  questão. Sabemos do poder que os marqueteiros  políticos têm sobre os candidatos e todos eles, pelo menos os que eu conheço,  são companheiros de viagem da comunalha e acreditam  que a bandeira do igualitarismo é a única capaz de seduzir o eleitorado. E  não é só no Brasil, veja as eleições nos EUA. O discurso é distributivista e a ação política lá também. Minha crença  é que o discurso conservador tradicional também dá votos e pode eleger até  presidente da República. Lembremo-nos do Collor, que se elegeu contra Lula e  não faz muito tempo, empunhando a modernização capitalista. Lembremo-nos de  Reagan. A mentira não pode triunfar sobre a verdade se, de fato, existir  aqueles que abracem a verdade. A mudança do nome do PFL para Democratas foi a  mais óbvia confissão dessa fé na propaganda esquerdista. Nossa direita não  acredita em seu próprio discurso e em seus próprios valores. Um erro colossal.
9. Você acredita que toda uma nação possa ter sido enganada por  décadas a fio sem se dar conta da bem sucedida revolução gramscista  posta em prática e cuja coroação foi a eleição de Lula ( “A questão da Representação no Brasil”)?
Nivaldo Cordeiro –> Os fatos mostram  isso. Até Olavo Setúbal, ex-lider civil da  revolução de 1964, virou advogado do distributivismo.  Na verdade, a geração dos governos militares nem orou e nem vigiou,  subestimou o mal. Ele entrou pelos poros, pelos ouvidos, tomou conta do  organismo como um vírus letal. A esquerda é uma espécie de AIDS política, mas  alguns indivíduos resistem ao mal e não adoecem. Serão a semente do futuro.
10. Nivaldo, em “Mensagem Sangrenta” você  adverte que o apoio que “Lula e o PT vêm dando às FARC pode arrastar o  Brasil para dentro de um conflito alheio aos nossos interesses geopolíticos”.   Você concorda que os interesses políticos de Lula e do PT, ao compartilhar  das diretrizes do Foro de São Paulo, têm demonstrado sistematicamente  interesses diversos (do) e adversos ao Estado brasileiro?
Nivaldo Cordeiro –> Isso realmente é  sério. Chávez só está no poder porque Lula o  bancou, duas vezes. E vimos agora a divulgação dos  e-mails do terrorista Raul Reys, que incriminam Chávez. Esse Chapolim Colorado  é o capitão-do-mato do FSP. Se estourar uma guerra será para destruir o  governo constitucional da Colômbia e a comunalha  petista fará tudo para que isso aconteça. Dificilmente o Brasil ficará de  fora de um conflito assim. Evidente que essa guerra só interessaria aos  revolucionários, não ao povo brasileiro, de tradição pacífica e não imperialista.
11. Ao descortinar os muitos “delírios de maluco” da versão  feita por Chico Buarque para a canção tema de “Man of La Mancha” (musical de 1965   – Broadway), em seu artigo “O Inacessível Chão” , como  se explica que a grande maioria da classe artística e intelectual, que reza  pela cartilha da nomenKlatura,  não se estabeleça de uma vez por todas no “paraíso” cubano?
Nivaldo Cordeiro –> Boa parte desses  artistas de esquerda são profissionais remunerados para a causa comunista,  especialmente os mais talentosos. Já me disseram que até Chico Buarque tinha  (não sei se ainda tem) uma bolsa de US$ 15 mil de Fidel Castro, mensal, desde  o início da carreira. Então o emprego revolucionário bem remunerado está  aqui, não em Cuba. E esses caras são inconseqüentes  e parasitas. Não gostam do batente. Se venderam ao  primeiro que apareceu. Cuba, só em férias.
12. Em Tel-Aviv, onde participou das comemorações dos 60 anos de  Israel, Bush comparou Barack Hussein Obama àqueles que nos EUA, (em 1939, quando da invasão da  Polônia), defendiam um entendimento com os nazistas, o que provocou a ira dos  democratas norte-americanos. Uma vez que Barack Hussein   Obama já manifestou seu interesse em conversar com  Irã, Cuba e Síria, você considera que procede essa  reação dos democratas ao discurso de Bush ou entende que não há negociação  possível com terroristas?
Nivaldo Cordeiro –> O Partido  Democrata sempre foi um antro esquerdista, que prega o progressismo  e uma forma de fascismo, a chamada Terceira Via, de Wilson. É  intervencionista, imperialista, faz da indústria bélica seu suporte econômico  e sempre se alinhou com a esquerda internacional. Digo: a Nação americana  repudia o terrorismo, mas as lideranças do PD cortejam as idéias e os líderes  terroristas. Taí um dilema existencial. Quero ver Obama dar comando para derrubar governos delinqüentes.  Vimos o que Carter fez no Irã: nada. Será igual.
13. Você avalia que existam bases concretas para se temer um 3º   mandato de Lula?
Nivaldo Cordeiro –> Sim. Está tudo  pronto para isso. Faltam pouquíssimos votos no Senado, que na Câmara passa  fácil. Se FHC e Serra não segurarem, a petelhada se  eterniza no poder.
14. Que diferenças você apontaria entre o “socialismo do século XXI”   que avança na América Latina e o do Estado totalitário implantado na ex-União  Soviética a partir de1917? A “guerra fria” acabou?
Nivaldo Cordeiro –> Nenhuma, ou  melhor, eles aprenderam com os próprios erros. Significa dizer que são mais  letais e mais perigosos. A Guerra Fria acabou para os norte-americanos. Os  esquerdistas nunca declaram a paz.
15. Nivaldo, existe alguma coisa sobre a  qual você gostaria de falar que não tenha sido aqui questionado?
Nivaldo Cordeiro –> É um dever de  consciência lutar contra o Estado Total.

Se você nos permite, da mesma forma que fizemos com os outros  entrevistados, gostaríamos de fazer um rápido bate bola (sem bola mesmo).
• Um livro –
Nivaldo Cordeiro –> Não vale dizer a  Bíblia. Order and History, de Eric Voegelin
• Uma música –
Nivaldo Cordeiro –> Asa Branca, do Gonzagão
• Um filme –
Nivaldo Cordeiro –> O Poderoso  Chefão. do Coppola
• Um sonho de consumo –
Nivaldo Cordeiro –> Um sitiozinho, num alto de uma serra. Com bichos, eu  cuidando. E bem longe do MST.
• Uma alegria –
Nivaldo Cordeiro –> Meus filhos, meu  tesouro
• Um homem –
Nivaldo Cordeiro –> João Paulo II, um  santo
• Uma mulher –
Nivaldo Cordeiro –> Mirna, minha companheira de todas as horas.
• Uma pedra no sapato –
Nivaldo Cordeiro –> O trânsito de São  Paulo. Uma estupidez.
• Um campo minado-
Nivaldo Cordeiro –> Nosso sistema  jurídico. A qualquer momento se pode ser esmagado pelo Leviatã.
• Uma indignação –
Nivaldo Cordeiro –> A chamada Igreja  progressista. Essas caras traíram a fé.
• Inferno-
Nivaldo Cordeiro –> Já visitei esse  sítio várias vezes, sempre por causa de meu orgulho. O Inferno é a soberba.
• Raposa do Sol –
Nivaldo Cordeiro –> Um escândalo.  Alguém tinha que dar um basta nessa traição nacional.
• Brasil –
Nivaldo Cordeiro –> Um país doente,  que precisa da ajuda de seu povo.
• América Latina –
Nivaldo Cordeiro –> Um continente  marchando para a revolução comunista.
• 2010 –
Nivaldo Cordeiro –> Lula lá.
• Uma reflexão, um pensamento –
Nivaldo Cordeiro –> Romanos 12,21:  “Não te deixes vencer pelo mal; vence antes o mal com o bem”.
<!–[if !supportLineBreakNewLine]–>

administrator

So, what do you think ?

You must be logged in to post a comment.