Our Blog

Nos últimos meses, tem sido destaque na divulgação das ciências a suposta descoberta de planetas “habitáveis” fora do sistema solar. Vejo a ânsia dos nossos cientistas, físicos e biólogos, nesse desejo de ver clones da Terra, onde uma humanidade pudesse abrigar-se. Têm colhido o maior fracasso, pois nunca conseguiram achar uma mísera bactéria. A teoria da geração espontânea da vida por mero arranjo da matéria, ideia que vem desde a Grécia antiga, mostrou-se até agora uma hipótese inviável.

Uma conclusão se impõe: a Terra, a nossa Terra, é o local do Jardim do Éden criado por Deus. O criacionismo é a única maneira de dar racionalidade à vida. Entretanto, a física e sobretudo os físicos empregados nos programas espaciais desdenham da Bíblia e da Verdade Revelada. São materialistas convictos, do mesmo naipe de que foram os gregos que viveram antes da Revelação.

Se alguém quiser ver como a mente dessa gente trabalha basta ler os livros de divulgação do Carl Sagan. Recomento especialmente o livro O Pálido Ponto Azul. De tanto olhar para os espaços infinitos Carl Sagan se esqueceu de honrar o Deus de seus pais, o Deus de Abraão, Isaac e Jacó. Desse ponto de vista, sua vida dedicada à ciência foi um completo fracasso. Ter a capacidade tecnológica de enviar engenhocas eletrônicas ao espaço sideral não é façanha que substitua a realidade em si: estamos sós no Universo, por obra e graças de Deus e a Terra é a manifestação única de sua Vontade, expressão de sua bondade para conosco.

Veja-se que esses materialistas se contentariam com uma mísera bactéria, pois aí estaria provado que a vida seria resultado de arranjo espontâneo da matéria. Até mesmo regozijam-se com a descoberta mais acanhada de que pode haver água e carbono. Os relatos que têm vindo a público não têm sido animadores, mesmo dentro da hipótese minimalista.

Quando vejo o físico Stephen Hawking sentado na sua cadeira elétrica, um trono erigido para um rei do materialismo, é que percebo a cegueira dos materialistas. O físico inglês é feio, decrépito e sem futuro, ainda assim persiste no erro epistemológico. Uma fotografia sua é a expressão estética do fracasso de demonstrar que o criacionismo é crendice, quando é, na verdade, a única explicação racional.

Outra variante dessa ânsia materialista é a busca frenética pela existência e aparição de extraterrestres. O século XX consolidou muita coisa folclórica nessa área. Claro que o suposto é que há maneiras de se gerar vida fora da Terra, hipótese consistente com a ideia da geração espontânea da vida. Filmes de ficção científica são abundantes sobre o tema, alguns até bem notáveis, como 2001 – Uma Odisseia no Espaço, do Kubrick.

A crença em ETs é tão inconsistente quanto a crença na transmigração das almas. Jesus Cristo não falou em reencarnação, mas em ressurreição. Todavia, a disseminação da tese da transmigração, que é uma variante do materialismo herdado da Grécia, tem crescido e tomado conta das multidões no Ocidente. O fracasso dos defensores da transmigração é equivalente ao fracasso dos que buscam ETs e formas de vida fora da Terra.

Essa é a razão porque se vê o renascer do paganismo, da idolatria e da idiotice espiritual. A alma do Ocidente está se fechando às verdades mais elementares e mergulha em crendices dignas de pena, como a aparição de ETs, de espíritos e outras formas de animismo. Um notável regresso civilizacional.

administrator

2 Comments

  1. Dr. Nivaldo Cordeiro

    Estou, em substância, de acordo com o espírito do seu texto, embora não me repugne que ao Senhor da Criação lhe aprouvesse ter criado vida noutro qualquer ponto do Universo.

    Com os meus cumprimentos
    João Marafuga

    Responder
  2. Robson La Luna Di Cola

    Falando em ressurgimento do paganismo, é um fenômeno mais sério do que se pensa. Se fizermos uma pesquisa na internet,, em vários idiomas, a quantidade de sites de adoração pagã é assustadora. Inclusive sites satânicos, e de bruxarias!!!!!

    Responder

So, what do you think ?


6 − = quatro